Receber por email!

O que procura?

Ginástica para o Cérebro - Fascínio da música




Além do fascínio que a música exerce sobre as pessoas, sabe se que ela tem o prodígio de interferir com mecanismos cerebrais, estimulando determinados circuitos da massa cinzenta, funcionando como uma terapia.

Um grupo de cientistas finlandeses da área da neurologia descobriu recentemente que a música estimula o sistema nervoso, ativando várias regiões do cérebro na mesma proporção , nas pessoas em que essas zonas se encontram danificadas por um derrame, acelera o processo de recuperação. Por outro lado, ajuda a prevenir a depressão, tão freqüente nestes pacientes.

No tratamento pós-cirúrgico, um artigo editado no jornal “Critical Care Medicine” refere existir uma resposta fisiológica efetiva à música por parte de enfermos intervencionados cirurgicamente. 

Mozart revelou possuir maior efeito sedativo do que os remédios! Verificou-se uma diminuição da pressão sanguínea e dos batimentos cardíacos, a par de uma menor necessidade de recorrer a analgésicos e de uma descida dos níveis de algumas hormonais relacionadas com o stress.
Ouvir música é saudável para toda a mente... Alivia tensões, ajuda a refletir, transporta-nos para cenários prazerosos, cura-nos.

 

The Black Eyed Peas



The Black Eyed Peas um grupo de Hip Hop,R&B e Música Eletrônica, formado em Los Angeles,Califórnia em 1995.

Fez o lançamento de sua nova música, “Reach for the stars”, de uma maneira diferente: direto de Marte.

Criatividade a mil, inovação...

Vamos torcer para surgir mais idéias como esta, nesta nossa tão amada Música Eletrônica.

“O objetivo é inspirar os jovens a levar uma vida sem limitar seu potencial e perseguindo a colaboração entre as artes e a tecnologia. Sei que meu propósito é inspirar os jovens porque eles continuam me inspirando de volta”, disse o rapper.


“willi.i.am nos proporcionou a primeira música da playlist da exploração de Marte”, disse o administrador-chefe da Nasa, Charles Bolden.

Reino Unido, Cultura Musical de muito Bom Gosto!

A Música do Reino Unido é uma das mais importantes do mundo, tendo dado à cultura universal importantes símbolos como os Beatles, Rolling Stones, Pink Floyd, Led Zeppelin, Queen e Iron Maiden. Mais recentemente, bandas como Oasis e Coldplay tiveram grande sucesso internacional.

Marcus Garvey- Movimento Rastafari


Marcus Mosiah Garvey

Marcus Mosiah Garvey nasceu em 17 de agosto de 1887 na Baía de Santa Ana,Jamaica. Aos 14 anos de idade, largou a escola e foi trabalhar com seu padrinho que complementou sua educação e lhe deu emprego como aprendiz da gráfica. Garvey tinha paixão por livros, gosto que herdou do pai, um culto maçom e seu padrinho, dono de uma biblioteca particular da qual Garvey fez muito uso durante sua educação. Participou das primeiras organizações nacionalistas da Jamaica, e, em 1908, fez parte de uma greve promovida pelo sindicato tipográfico, seu primeiro movimento sindical. Como resultado da greve, perdeu seu emprego e foi colocado em uma lista negra dos empregadores privados da Jamaica. Contudo, conseguiu emprego na imprensa do governo.Na Jamaica, decidiu viajar pela América Central e do Sul onde tomou contato com a situação deplorável e calamitosa dos negros nessas localidades. Viajou em 1910 para a Costa Rica, tendo trabalhado como fiscal em uma plantação de bananas onde, dentre outras coisas, pôde observar de perto a situação dos negros nesse país. Decidiu que iria mudar a condição de vida dessas pessoas. Continuou suas viagens trabalhando e observando a situação do negro por regiões como o Canal do Panamá e em países como Equador, Honduras, Nicarágua, Guatemala, Colômbia, Chile e Peru. Em todos esses países, viu os negros sofrendo com o desemprego e passando fome e miséria, além, é claro, de sofrerem sobremaneira com o preconceito racial. Após suas viagens, voltou à Jamaica e apelou ao governo colonial jamaicano que fizesse algo pela situação dos trabalhadores nesses países, mas nada conseguiu do seu governo.


O MOVIMENTO RASTAFARI
A filosofia Rastafari se expandiu muito na década de 30 sob forte influência dos discursos inflamados de Marcus Garvey. As idéias de Garvey encontraram eco entre os líderes religiosos da Jamaica e ele ganhou fama de profeta. Sua pregação combinou-se a uma interpretação livre da Bíblia, especialmente do Velho Testamento. Garvey e seus seguidores identificavam-se com a história das tribos perdidas de Israel, vendidas aos senhores de escravos da Babilônia. Essa metáfora inicial gerou uma série de imagens simbólicas que se tornaram constantes na tradição oral dos rastas: “Babilônia”, “Zion”, .Das profecias atribuídas a Marcus Garvey, previa-se que um Rei Negro seria coroado na África e que esse rei seria o líder que conduziria os negros do mundo inteiro `a redenção. Quando, em 1930, Ras Tafari Tafari Makonnen foi proclamado rei da Etiópia, adotando o pomposo título de “Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, Sua Majestade Imperial, Leão Conquistador da Tribo de Judá, Eleito de Deus”, os líderes religiosos e seguidores de Garvey na Jamaica reconheceram nele o Rei Negro de que o profeta havia falado. Ras Tafari, que adotou o nome de Haile Selassie I, proclamava-se legítimo herdeiro da antiga linhagem do Rei Salomão (que teve um filho com a rainha do reino etíope de Sabá) e seria o messias que libertaria os negros do mundo inteiro e os levaria de volta à terra de seus pais. Mais do que isso, ele passou a ser considerado por esses pregadores a própria encarnação de Deus, que, segundo sua interpretação da Bíblia, haveria de ser negro. Um trecho do Apocalipse de São João foi invocado como confirmação do destino do novo Rei da Etiópia: “Não chores! Eis aqui o Leão da Tribo de Judá, a raiz de David, que pela sua vitória alcançou o poder de abrir o livro e desatar os seus sete selos” (5:5).
Quando se fala de Jamaica e de Rastafari, impossível não mencionar Bob Marley e sua música,  que foi completamente influenciada completamente pelo movimento Rastafari e, consequentemente, por Marcus Garvey. Abaixo disponibilizamos uma apresentação de Bob Marley de sua canção AFRICA UNITE (com legendas traduzidas), onde podemos perceber claramente ambas influências: o conteúdo pan-africanista (Garvey) e da filosofia Rastafari.

O rastafarianismo, também conhecido como movimento rastafári ou Rastafar-I (rastafarai) é um movimento religioso que proclama Hailê Selassiê I (1), imperador da Etiópia, como a representação terrena de Jah (Deus). Este termo advém de uma forma contraída de Jeová encontrada no salmo 68:4 na versão da Bíblia do Rei James, e faz parte da trindade sagrada o "Messias" prometido. O termo rastafári tem sua origem em Ras ("príncipe" ou "cabeça") Tafari ("da paz") Makonnen, o nome de Hailê Selassiê antes de sua coroação


HIP-HOP - uma lenda Afrika Bambaataa


Cultura artística deu início  durante a década de 1970 em  áreas centrais de comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas da cidade de Nova Iorque. Afrika Bambaataa, reconhecido como o criador oficial do movimento, estabeleceu quatro pilares essenciais na cultura hip hop: o rap, o DJing, a breakdance e a escrita do grafite.Elementos incluem a moda hip hop e as gírias.
Surgi o  hip hop a base concentrava-se nos disc jockeys que criavam batidas rítmicas para pausas "loop" (pequenos trechos de música com ênfase em repetições) em dois turntables, que atualmente é referido como sampling. Acompanhada pelo rap, identificado como um estilo musical de ritmo e poesia, com uma técnica vocal diferente para utilizar dos efeitos dos DJs. Surgiram formas diferentes de danças improvisadas, como a breakdance, o popping e o locking.
A relação entre o grafite e a cultura hip hop surgiu quando novas formas de pintura foram sendo realizadas em áreas onde a prática dos outros três pilares do hip hop eram frequentes, com uma forte sobreposição entre escritores de grafite e de quem praticava os outros elementos.

Da periferia de Sampa para o Mundo
Afrika Bambaataa

Afrika Bambaataa é o pseudônimo de Kevin Donovan (Bronx, Nova York, 10 de abril de 1960) é um DJ estado-unidense e líder da Zulu Nation, reconhecido como fundador oficial do Hip Hop.

Nasceu e foi criado no Bronx e, quando jovem, fazia parte de uma gangue chamada Black Spades (Espadas Negras, em português), mas viu que as brigas entre as gangues não levariam a lugar nenhum. Muitos dos membros originais da Zulu Nation também faziam parte da Black Spades, que era uma das maiores e mais temidas gangues de Nova York. Bambaataa se utilizou de muitas gravações já existentes de diferentes tipos de música para criar Raps. Usando sons, que iam desde James Brown (o mestre da Soul Music) até o som eletrônico da música “Trans-Europe Express” (da banda européia Kraftwerk), e misturando ao canto falado trazido pelo DJ jamaicano Kool Herc, Bambaataa criou a música “Planet Rock”, que hoje é um clássico. Bambaataa também foi um dos líderes do Movimento Libertem James Brown, criado quando o mestre da Soul Music estava preso e, anos depois, foi o primeiro ‘Hip-Hopper’ a trabalhar com James Brown, gravando “Peace, Love & Unity”.

Joropo - Venezuela


Na cultura venezuelana existe uma rica combinação de heranças. Os diferentes povos  espanhóis e africanos  que se uniram após a conquista espanhola, depois da imigração durante o século XX e  trouxeram  italianos, portugueses, árabes,alemães e outros... Dos países limites da América do Sul, 85% da população vive em áreas urbanas na parte norte do país. Sendo que quase metade da área terrestre da Venezuela se situe a sul do rio Orenoco, esta região contém apenas 5% da população. Mais de 96% da população identifica-se como Católica.
O folclore e a cultura popular são tipos regionais, com peculiaridades de linguagem, costumes e inclusive herança histórica, como os llaneros, vaqueiros das planícies; os maracuchos, os empresários da bacia do Maracaibo; os guayanases, habitantes do remoto planalto das Guianas; e os andinos, que vivem nas montanhas. Caracas concentra a maior parte das instituições culturais do país, como o Museu de Belas-Artes, fundado em 1938, o Museu de Arte Colonial, o Museu de Ciência Natural e a Biblioteca Nacional, com um acervo de mais de dois milhões de livros. Os principais grupos artísticos estão o Ballet Nuevo Mundo de Caracas e a Orquestra Sinfônica da Venezuela. A música é a mistura de espanhol e elementos africanos, o que representa o  país é o Joropo , utilizando ferramentas (francófonos e anglófonos do Caribe). Devido à influência cultural dos Estados Unidos era ouvir, hip-hop, dance, techno, rock e pop. De gosto musical muito diferente de países da América do Sul, a Colômbia tem apenas alguns gostos em comum como Llanera como nas planícies do leste da Colômbia é a expressão musical, como fronteira. O gosto musical do país é marcadamente Caribe, na Venezuela a salsa, o merengue e cumbia música é para ouvir e não apenas para dançar, como em outros países. Vale lembrar que a música é chamado Llanera música nacional, e vem das principais planícies do país (Edo. Barinas e Apure). Devido à influência dos afro-Antillean, o tambor e o calypso são importantes no gênero musical Venezueal. Para os jovens (como em outros países latino-americanos), existe uma grande presença de reggeaton.
Joropo estilo musical que lembra a valsa,música típica e música crioula. É também o ritmo folclórico mais popular do país: a conhecida canção "Alma Llanera" é um joropo, considerado o hino nacional da Venezuela.

Muçulmanos e a Música! Lei, Proibição...




Sharia é agora um termo familiar para os muçulmanos e não muçulmanos, que ouvimos em notícias sobre política,questões feministas, terrorismo e civilização.Apesar de ser citado constantemente, poucas vezes é explicado, mantendo-se assim uma imagem obscura e muitas vezes negativa , já que é associado pelos meios de comunicação à amputação de membros, a morte por apedrejamento, a chibatadas e outros castigos medievais. Sendo assim a Sharia difundida como uma legislação injusta imposta sobre pessoas que vivem em nações onde as leis se baseiam nela.
Na realidade, o islamismo trouxe consigo um conjunto de leis que regem a vida do muçulmano, essas leis compõem a Sharia, que é elaborada pela combinação de diversas fontes , incluindo o Alcorão (o livro sagrado dos muçulmanos), os Ahadith (ditos e condutas do Profeta Maomé SAAS) e as Fatwas (decisões dos estudiosos islâmicos para questões do cotidiano, que muitas vezes usam interpretações do alcorão e dos Ahadith)
Na tradição islâmica, Sharia, é vista como algo que alimenta a humanidade.Não como algo primitivo, mas como algo divinamente revelado. Em uma sociedade onde os problemas sociais são endêmicos a Sharia liberta a humanidade alcançando seu maior potencial individual que será somado às realizações de toda uma sociedade. Sendo responsável pela evolução da conduta do ser humano em momentos históricos onde, o mesmo, afastou-se do conceito de civilização. Dessa forma a Sharia representaria a lei de Deus na terra.
“Em verdade, revelamos-te o Livro corroborante e preservador dos anteriores. Julga-os, pois, conforme o que Deus revelou e não sigas os seus caprichos, desviando-te da verdade que te chegou. A cada um de vós temos ditado uma lei e uma norma; e se Deus quisesse, teria feito de vós uma só nação; porém, fez-vos como sois, para testar-vos quanto àquilo que vos concedeu. Emulai-vos, pois, na benevolência, porque todos vós retornáreis a Deus, o Qual vos inteirará das vossas divergências”.
Alcorão, 5:48
Para os muçulmanos, a vida não começa no nascimento, mas muito tempo antes disso. Antes mesmo da criação do primeiro homem. Tudo começou quando Deus criou as almas de todos aqueles que irão existir e lhes perguntou: "Eu não sou o seu Senhor?" Todos eles responderam: "Sim".
Deus decretou para cada alma um tempo na terra para que pudesse julgá-la. Em seguida, após a conclusão dos respectivos termos escolhidos, Ele irá julgá-los e enviá-los ao seu destino eterno: ou uma de felicidade sem fim, ou de uma tristeza eterna.
Esta vida é, então, uma viagem que apresenta aos homens muitos caminhos. Apenas um desses caminhos é claro e direto. Esse caminho é a Sharia.

Proibição da música no Qur’an e na Sunnah

Qur’an e a Sunnah (tradição do profeta) nos dizem que a música é proibida.



“E, dentre os homens, há quem compre falsas narrativas, para, sem ciência, descaminhar os outros do caminho de Allah…” (Qur’an 31:6)


Sobre o comentário deste verso, Ibn Baaz (raw) disse: “’Falsas narrativas’ refere-se à música e coisas relacionadas com ela”.
“E provoca/seduz, com a tua voz, aqueles que puderes, dentre eles; aturde-os com a tua cavalaria e infantaria; associa-te a eles nos bens e nos filhos, e faze-lhes promessas! Qual! Satanás nada lhes promete, além de quimeras”. (Qur’an 17:64)A frase: “E provoca/seduz, com a tua voz, aqueles que puderes…” foi comentada pelo Imam Mujahid: “A voz refere-se a música”. (Ruhul Maani)

O Profeta (sws) ainda menciona: “A música cresce hipocrisia no coração tal como água faz crescer a colheita”.
Então,aqui está a prova concreta que a música é sim proibida no Islam.O único instrumento que é permitido é o “daff” ,mas ele só pode ser usado em ocasiões especiais,como Eids e casamentos.

Vossa Santidade o Papa Bento XVI lança livro falando sobre Música




“Elogiar a Deus com a arte” no qual o Santo Padre “derrama sua paixão pela música e reflete sobre arte, liturgia e teologia”, além de dar uma aproximação crítica a obras de grandes compositores como Schubert, Beethoven e Mozart. 

Conforme informa o jornal La Razón da Espanha, o livro – cuja edição em português ainda não tem data – contém uma introdução de Riccardo Muti, atual diretor do Teatro da Ópera de Roma. No texto o Santo Padre “fala de teologia, do Concílio Vaticano II, de arte e de liturgia” e considera que “a beleza das criações artísticas é uma estupenda maneira de chegar a Deus”. No livro o Papa Bento XVI “agradece aos músicos que tocam para ele nas audiências e atos oficiais” e expressa sua paixão por seu compositor favorito, Mozart, assinalando que “deixa-me acima de tudo uma sensação de gratidão por haver-nos dado tudo isso e pelo fato de que tudo isso tenha sido dado a ele”. 

O Santo Padre faz uma crítica da perspectiva teológica e cristã sobre grandes compositores musicais como Beethoven e o autor austríaco Schubert, dizendo sobre este último que quando inserida um texto poético em sua música produz uma “trama melódica que penetra a alma com doçura, levando a quem o escuta a sentir a mesma chamada à verdade do coração que vai mais adiante do raciocínio sentido pelo músico”. 

Em novembro do ano passado se lançou o disco “Alma Mater”, no qual o Papa Bento XVI fala e canta em cinco idiomas cantos gregorianos e marianos conhecidos. Nesse mesmo mês, sustentou um encontro com 260 artistas na Capela Sixtina no qual recordou a seus compositores a “responsabilidade de comunicar a beleza à sociedade” e sua missão de ser “anunciadores de esperança para a humanidade” através da música.

Foto: Caminho Neocatecumenal 2007

Teremim Exótica: Música Grega

Teremim Exótica: Música Grega: A arte musical grega, deixou poucos exemplos registrados (cerca de 40 fragmentos), em diversas descrições e num sistema bastante desen...

Música Grega



  • A arte musical grega, deixou poucos exemplos registrados (cerca de 40 fragmentos), em diversas descrições e num sistema bastante desenvolvido, mas da música temos  menos relíquias, e suas características ainda permanecem no terreno da conjetura.
  • Tem- se registros que não havia uma forte associação de ética e música entre os romanos, sobre a largamente difundida presença de música em todas as ocasiões da vida, desde as manobras militares e grandes festivais, onde havia performances em larga escala que incluíam centenas de instrumentistas e usando instrumentos de enormes dimensões, como kitharas construídas do tamanho de carruagens, até o uso discreto e doméstico de instrumentos solo. Concursos musicais eram comuns e a educação em música era considerada um sinal de distinção social.



De origem grega, cítara (sitar, kithaar,qitara, kithara. kaithaar, cithara ou qhitara) é um instrumento de cordas que parece metade guitarra e metade harpa. Ele possui a estrutura do dorso da guitarra atual que lembra uma harpa por causa da disposição das cordas.

Muito comum na região da Ásia menor e os músicos que o tocavam eram chamados de citharedes. A sua caixa de madeira é composta por cavidades, lisas ou arqueadas, que fazem a ressonância do som.

A cítara era muito tocada em recitais, rapsódias, odes e músicas eruditas, mas também era encontrada em banquetes da alta sociedade. Diz a lenda que as ninfas dançavam ao som deste instrumento e deve ser por isso que foi incorporado à dança do ventre.



Musicoterapia


A utilização da música e seus elementos constituintes como  ritmo, melodia e harmonia, utilizado por  um musico ou  terapeuta qualificado, com um cliente ou grupo, pode facilitar e promover comunicação, relacionamento aprendizado, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, a fim de atender as necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais . A musicoterapia busca desenvolver potenciais e/ou restaurar funções do indivíduo para que ele ou ela alcance uma melhor qualidade de vida.
O uso da música no  método terapêutico vem desde o início da história humana. Data - se os  primeiros registros a esse respeito na obra de filósofos gregos pré-socráticos.
O uso terapêutico pode vir associado  à outras técnicas como relaxamento progressivo, treinamento autógeno, reiki, yoga ou acupuntura.

Logo! by Joice Oliveira


Falando nisso! Dom...


A música é Don de Deus ao homem e é o mais importantes elementos num programa espiritual. Um meio de comunicação com Deus e constitui "um dos meios mais eficazes para impressionar o coração com as verdades espirituais" .
Cantando - "podemos mudar  pensamentos e despertar simpatia, promover a harmonia mandar embora a tristeza e os maus pressentimentos. A finalidade da música é servir "a um santo propósito: erguer os pensamentos!
 “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom…” Lá estava o Éden, jardim de Deus...havia no Éden um lugar, mais precisamente um monte santo, onde um querubim especial tinha a responsabilidade do serviço musical. Para isso ele dispunha de alguns instrumentos, entre eles: pífaros e tambores, com os quais cumpria o propósito divino.

E surge o bom e velho Rock and Roll

Gênero musical de grande sucesso que surgiu nos Estados Unidos nos anos 50 (década de 1950)..Podendo ser descrito como inovador e diferente de tudo que já havia na música, o  bom e velho rock unia um ritmo rápido com pitadas de música negra do sul dos EUA e o country. Acompanhamento de guitarra elétrica, bateria e baixo, letras simples e um ritmo dançante, de muito bom gosto, rápidamente virou gosto popular...
Que foi tocado pela  1º vez em um programa de rádio no estado de Ohio (EUA), no ano de 1951. Rápidamente ganhou o gosto dos jovens que se identificaram com esse estilo rebelde surge nos EUA e em pouquissimo tempo se espalhou pelo Mundo!

Deus adorado através da Música


Segundo a Lei de Moisés, a música que agradava a Deus no Antigo Testamento envolvia o uso de vários instrumentos. Após a travessia do mar Vermelho, Miriã e as mulheres de Israel adoraram a Deus com cânticos, danças e tamborins Os profetas dos tempos de Samuel usavam saltérios, tambores, flautas e harpas.No período de Davi, Deus era adorado com cânticos acompanhados "com instru-mentos músicos" . 1 Crônicas 16 menciona o uso de alaúdes, harpas, címbalos, trombetas e instrumentos de música.Davi deu instruções específicas para o uso desses instrumentos em que a adoração é descrita detalhadamente. A adoração nos dias de Salomão era semelhante: "e quando todos os levitas que eram cantores, isto é, Asafe, Hemã, Jedutum e os filhos e irmãos deles, vestidos de linho fino, estavam de pé, para o oriente do altar, com címbalos, alaúdes e harpas, e com eles até cento e vinte sacerdotes, que tocavam as trombetas.


"Louvai-o ao som da trombeta; louvai-o com saltério e com harpa. Louvai-o com adufes e danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flautas. Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos retumbantes. Todo ser que respira louve ao Senhor. Aleluia!" (Salmos 150:3-6).

Teremim Exótica!!!




A iniciativa do Teremim, é a divulgação da Cultura musical,
alternativa...
Teremim, é um dos primeiros instrumentos musicais eletrônicos,
inventado em 1919 pelo  russo Lev Sergeivitch Termen...

Bem como o diálogo e o conhecimento entre um acesso e outro!

Lendas e instrumentos



De acordo com  lendas, a harpa foi inventada pelo povo egipcio para tocar as melodias que agradavam  Deuses.São também a Flauta e Arpa um dos instrumentos mais antigos inventados, que surgiram de objetos originados da caça.Tem-se conhecimento através de fábulas egípcias, poesias e trabalhos de arte, que as harpas existiam séculos antes de Cristo, na Babilônia e Mesopotâmia. Foram encontrados desenhos de harpas na tumba do Faraó Egípcio Ramsés III (1198-1166 a.C.), em esculturas da Grécia antiga, em cavernas do Iraque que datam desde 2900 a.C. e textos religiosos judaico-cristãos afirmam que a harpa e a flauta existiam antes mesmo do Dilúvio. A harpa é constituída pelo corpo, pedais e cordas.

Ramsés é um nome egípcio que significa "nascido de  ". Foi o nome de onze faraós da XIX e XX dinastias que, junto com a XVIII, compõem o Império Novo.

Na História da Música


O estudo das origens e evolução da sexologia ardente entre casais ao longo do tempo. NA disciplina histórica encontramos na arte e no estudo da evolução cultural dos povos. NA disciplina musical,  é uma divisão da musicologia e da teoria musical.
Em 1957 Marius Schneider  "musicólogo" escreveu: “Até poucas décadas atrás o termo ‘história da música’ significava meramente a história da música erudita européia. Foi apenas gradualmente que o escopo da música foi estendido para incluir a fundação indispensável da música não européia e finalmente da música pré-histórica."
Há, portanto, tantas histórias da música quanto há culturas e espaços no mundo e todas as suas vertentes têm desdobramentos e subdivisões. Dizemos na  história da música do ocidente, mas também podemos desdobrá-la na história da música erudita do ocidente, história da música popular do ocidente, história da música do Brasil, história do samba, e assim por diante.
NA natureza, podemos começar a notar a música já presente inclusive na Idade da Pedra.


Abaixo Musicólogo ^^

Palavra Origem

Música é uma palavra de origem grega - vem de musiké téchne, a arte das musas - e se constitui, basicamente, de uma sucessão de sons, entremeados por curtos períodos de silêncio, organizada ao longo de um determinado tempo.

É uma combinação de elementos sonoros que são percebidos pela audição. Inclui variações nas características do som, tais como duração, altura, intensidade e timbre, que podem ocorrer em diferentes ritmos, melodias ou harmonias.